domingo, 16 de setembro de 2007

Novas oportunidades


Assim me apresento neste regresso desbravado voltando do silêncio imposto pela escassez de recursos electrónicos.

E da mesma forma que antes devoto a tudo o que me rodeia seguirei sem que o silêncio me detenha, e aquilo que me apoquenta sempre foi minha tormenta mas que sempre conseguir conter e até o meu fim chegar vou recorrer sempre ás palavras para degustar o meu passado e professar o meu futuro. Nada me deterá, "quero o fruto até ao fim". O frutos são como o silêncio também se acabam, mas até lá desfrutem.